domingo, 10 de setembro de 2017

Três anos esta noite

Para Marcelo Donoso

Era um provérbio
Foi um redondilho
E desde então será sempre verdade

Ao algoz da Noite
Agradeço cada dia que nasceu depois da morte

Há três anos ou trinta que estes mesmos dias
São sempre outros
Porque você inventa novos idiomas
Com os quais escrevo nossa história

Que - sobretudo - é
Uma História dos que Voltaram a Cantar

(Jamais nos calaremos novamente)

Nesta hagiografia a música celebra os "males que 
                             [vêm pra bem", o certo das linhas tortas
E as palavras alcançam todos os centímetros do templo maior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário